Fiscal do Enem 2018: Como trabalhar na aplicação das Provas

Ser Fiscal do Enem 2018 é uma grande responsabilidade e muitas pessoas estão dispostas a assumir esse papel durante a aplicação da prova mais esperada do ano.

Por essa razão, é importante que você comece a se preparar para estar apto a fazer parte desta função que tem importância de ordem Federal e precisa estar sempre no radar de quem deseja estar nas salas de aplicação.

Em geral o prazo para as inscrições daqueles que desejam trabalhar no Enem se concentra um mês antes das provas.

Por isso, se você quer ser Fiscal do Enem 2018 é importante que você acompanhe este artigo até o final para saber tudo o que você precisa saber. Neste texto você vai ter as informações necessárias que precisa ter em mãos para ser um Fiscal no dia das provas. Vamos nessa?

Fiscal do Enem 2018: Quais são as suas funções?

O exame ganhou proporção e importância a nível nacional nos últimos anos e cada dia cresce mais a demanda por profissionais que queiram trabalhar nos dias de aplicação da prova.

São vários os cargos disponíveis para o Fiscal do Enem 2018: chefes de sala, ledores, intérpretes de libras, aplicadores de prova (que auxiliam os chefes de sala), volantes (fiscais de corredor), fiscais de banheiro e apoio (porteiros, auxiliares de limpeza, seguranças).

Os chefes de sala são os responsáveis pela organização geral do local de prova do Enem. Seu trabalho consiste em fiscalizar o ambiente como um todo.

Os ledores, intérpretes de libras e aplicadores são os que trabalham exclusivamente dentro da sala de aula. Os fiscais de banheiro e pessoal de apoio cuidam da área externa dos locais de aplicação (que são escolas, geralmente).

Quanto ganha um fiscal?

Os valores de remuneração variam de acordo com a função do Fiscal do Enem 2018. O valor pago em 2015, para os chefes de sala, por exemplo foi de RS 227,86 líquidos pelo serviço prestado.

Aplicadores e fiscais receberam algo em torno de R$ 150,00 e o pessoal de apoio recebeu R$ 120,00.

Não se obtiveram informações concretas sobre os valores da aplicação de 2017, por exemplo.

Nos últimos anos da prova foi instituído que o corpo de fiscais da prova fosse formado exclusivamente por um grupo de aplicadores de institutos federais e universidades.

Mas, de uma forma geral, não existem informações concretas desde então, sendo mantido o formato pelo menos até o presente momento.

Como fazer a inscrição para fiscal do ENEM 2018?

O INEP designa ao CESPE/UnB e à Fundação CESGRARIO a função de gerenciar os processos seletivos dos fiscais.

Por isso, aqueles que tiverem interesse em trabalhar nos dias das provas do ENEM 2018 precisam estar atentos às atualizações sobre o exame no site dessas duas instituições.

Ainda não foram divulgados os prazos de cadastro fiscal ou quaisquer outras informações pelo INEP.

Por isso, a dica é ficar sempre informado e atualizado sobre o surgimento de novas informações nos sites das instituições citadas acima. As vagas são preenchidas rapidamente e o assunto pouco é comentado.

Pagamento dos Fiscais

O pagamento ocorre de duas maneiras: via depósito em conta corrente ou por meio de ordem de pagamento.

Ambas as ações são feitas pelo Banco do Brasil. O depósito ou pagamento é feito no mês seguinte a aplicação das provas.

O número de fiscais em 2017 foi de cerca de 800 mil pessoas e a tendência é que esse número cresça ainda mais em 2018.

Algumas funções, cabe lembrar, precisam de treinamento prévio. Eles são realizados tanto via internet quanto de maneira presencial.

Por isso, se você quer ser um Fiscal do Enem 2018, é bom atentar-se às dicas acima e começar a se preparar para assumir essa responsabilidade.

E aí, gostou do artigo acima? Curta nossa página no facebook!

Fiscal do Enem 2018: Como trabalhar na aplicação das Provas
2.5 (50%) 2 votes

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.